Mobilidade x Flexibilidade – Qual a diferença?

A capacidade de produzir movimentos livres com seu corpo ou de mover parte dele, de forma livre e desimpedida, normalmente é lembrada como flexibilidade pela a maioria das pessoas. Mas será que é somente de flexibilidade que estamos falando?

O que poucos sabem é que durante o movimento de uma articulação, como por exemplo, a do ombro, fazer o movimento de trazer o braço desde a altura do quadril até o ponto mais alto acima da cabeça, contempla muito mais do que o alongamento de musculaturas. Neste movimento, as articulações e todas as partes que conformam elas, isto é, músculos, tendões, ligamentos, cartilagens e a própria cápsula articular (estrutura que mantém todas as conexões lubrificadas) precisarão entrar em ação.  Este conjunto articular vai precisar rolar, deslizar, ceder e até alongar no momento certo do movimento.

O correto funcionamento de todas estas partes é chamado de amplitude de movimento (ADM). Isto é, o trabalho perfeito entre musculaturas e articulações que também é chamado de flexibilidade e mobilidade. Quando falamos de FLEXIBILIDADE propriamente dita, estamos falando da capacidade de deslizamento e alongamento das musculaturas.

Este trabalho pode acontecer de maneiras bem diferentes. A primeira e mais tradicional é através de exercícios estáticos, de permanência contínua na posição de escolha. Estes utilizam sequências de alongamentos ativos ou passivos com auxílio de carga externa, como o uso da própria musculatura, ou a ajuda de um instrutor que promova uma amplitude maior do movimento durante longos períodos na mesma posição, focando no relaxamento e a concentração a fim de se obter um maior alongamento da região trabalhada. Esse tipo de treinamento é semelhante ao praticado na Yoga e causa uma transformação direta na musculatura, ligamentos e tendões, sendo notória aos níveis de ADM.

Já ao falar de MOBILIDADE, estamos falando das dobradiças do corpo humano. Estas geram mobilidade articular, capacidade que a estrutura articular tem de se mover e produzir movimento juntamente de outras estruturas como músculos, tendões e ligamentos. As articulações, através da sua mobilidade, ainda oferecem a capacidade de estabilização durante a execução de movimentos rápidos ou com carga. A conscientização e a estabilização dos movimentos auxiliam na redução de riscos de lesão ou dor articular.

Outra forma de promover um maior ganho nos movimentos, são os alongamentos dinâmicos.  Este tipo de movimentos, são executados de maneira ampla, utilizando diversas partes do corpo de maneira coordenada ou por separado. Estes exercícios têm o intuito de obter ganhos expressivos e agudos na nossa ADM, a partir de movimentos com maior amplitude articular, proporcionando uma maior soltura nos movimentos e musculaturas, elevando também a temperatura corporal.

Através do uso de exercícios com movimentos amplos e de forma mais dinâmica e divertida, oferecemos uma transformação plástica às nossas articulações. Alterações que podemos chamar de ‘manutenção’ dos níveis de flexibilidade geral. Neste caso, os ganhos são transitórios, e em algumas horas podem retornar aos níveis normais encontrados anteriormente. Felizmente essas mudanças são assimiladas com maior agilidade pelo nosso corpo, o que nos prepara de forma mais rápida para as sessões de treino que exigem articulações saudáveis e aptas para os movimentos com carga.

Os elementos mobilidade e flexibilidade, podem sofrer influências externas e internas como: temperatura corporal e ambiental, idade, sexo, formação fisiológica, estruturas ósseas e cartilaginosas, capacidade muscular de produzir contração e alongamento, nível de atividade física do indivíduo, postura adotada ao longo do dia, e até mesmo da capacidade de absorção líquida do organismo. Todos estes fatores podem trabalhar mais ou menos ao nosso favor quando o assunto é produzir movimentos fluídos. Não é possível não salientar a importância sobre o trabalho em cima dos pontos chaves do nosso corpo, a saber: tornozelos, quadris, coluna e ombros.

No treinamento funcional aqui na Integra, você pode encontrar todos estes elementos dentro da nossa preparação de movimento, uma das partes mais importantes das nossas sessões de treino. Nos dias atuais, a manutenção e o desenvolvimento dos níveis de flexibilidade e mobilidade geral para uma maior aptidão física, saúde e bem-estar, é imprescindível.

Escrito por: Otávio Barbosa (Educador Físico)

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Fechar Menu