Como surgiu o método Pilates?

Alguns registros indicam que Joseph Humbertus Pilates nasceu em 1883, em Mönchengladbach, próximo a Düsseldorf, Alemanha. Seu pai tinha o sobrenome de Pilatu, pois era de ascendência grega. E sua mãe, naturopata, de ascendência alemã. Joseph Pilates, quando criança sofria de raquitismo, asma e febre reumática. E na adolescência, para superar tais doenças começou a estudar como autodidata anatomia e fisiologia humana e fundamentos de medicina oriental. Sendo assim, se tornou adepto de várias atividades físicas incluindo musculação, ginástica, esqui, mergulho e boxe. Inspirou-se nas filosofias gregas e romanas cujo objetivo era atingir a perfeição física e mental.

Em 1913, viajou para a Inglaterra para treinar boxe e empregou-se num circo e como instrutor da defesa pessoal da polícia civil inglesa (Scotland Yard). Com o inicio da Primeira Guerra Mundial em 1914, Joseph Pilates foi considerado estrangeiro inimigo e, por isso, ficou recluso com outros cidadãos alemães em uma prisão na Ilha de Man. Confinado, ensinou luta livre e autodefesa aos companheiros de prisão, tornando-os muito mais fortes e desenvolvendo assim mais ideias sobre condicionamento físico. Ainda na prisão, Pilates atuou como enfermeiro, ajudando na recuperação dos feridos de guerra e treinando outros internos com os exercícios que criou. Após a guerra, Joseph voltou à Alemanha e começou a atender seus próprios clientes e com isso foi desenvolvendo seus equipamentos, que tinham como objetivo dar assistência aos movimentos, buscando intensificar os exercícios e estimular musculatura mais profunda.

Em 1925, Joseph estava descontente com a situação política do governo do seu país e contrário à perspectiva de uma nova guerra. Dessa forma, decidiu ir embora para os Estados Unidos. Alguns registros indicam que durante a viagem para os EUA, Pilates conheceu uma jovem chamada Anna Clara Zeuner, que mais tarde tornou-se sua esposa. O fato é que Clara se tornou uma parceira integral e ajudou Pilates a desenvolver e ensinar seu método.

Quando chegaram à New York, fundaram o seu primeiro estúdio na Oitava Avenida sob o número 939, mesmo edifício onde estavam o New York City Ballet, entre outros estúdios de artistas. Imediatamente, Joseph atraiu a atenção do público da dança fazendo com que a “Contrologia” (como ele denominou seu método de exercícios) fizesse parte da rotina de muitos bailarinos, trabalhando com o condicionamento físico e fazendo parte do processo de reabilitação.

A “Contrologia” se tornou fundamental no treinamento e na reabilitação de muitos dançarinos e vários deles se tornaram instrutores de Pilates formando a Primeira Geração de discípulos do método. Apesar dos esforços de Joseph, a década de 1950, foi marcada por grandes fracassos. Ele sentia-se amargurado com a definição de saúde normal adotada pela comunidade médica da época, com uma visão estreita de medicina preventiva e com os padrões pobres de condicionamento físico adotados. Na década de 1960, o método Pilates criou raízes em algumas instituições de Manhattan e começou a se expandir pelo mundo através da Primeira Geração de Instrutores, discípulos de Joseph. A técnica de Pilates e sua filosofia começaram a ser ensinadas para uma população crescente de alunos e instrutores.

Em janeiro de 1966, houve um incêndio no prédio onde Joseph tinha seu estúdio. Alguns registros dizem que ele tentou salvar o que podia do seu estúdio. Em outubro de 1967, Joseph Pilates faleceu aos 83 anos, não havendo registro da causa de sua morte. Clara, a esposa de Joseph, continuou a ensinar e administrar o estúdio até a data de sua aposentadoria, em 1972. Nesta época, Romana Kryzanowska, aluna e instrutora da Primeira Geração de Joseph Pilates, assumiu a responsabilidade de administrar o local no lugar de Clara. Em 1976, Clara faleceu aos 93 anos.

Na década de 1980, a segunda geração de professores continuou a difundir o método Pilates e programas de treinamento de instrutores começaram a ser formalizados. Em 1995, a comercialização, o crescente interesse da mídia pelo método, a integração de corpo-mente nas atividades e a curiosidade dentro da comunidade médica foram impulsionando cada vez mais o método. Em 1996, teve início uma disputa legal envolvendo o uso da marca “Pilates”. Em 2000, o juiz decidiu que o uso da palavra “Pilates” é de domínio publico e não uma marca registrada, sendo uma designação genérica para um método de execícios, onde utiliza-se equipamentos específicos, um sistema e uma pedagogia de exercícios que não pode ser possuída ou chamada por outro nome. A decisão judicial acabou por influenciar na valorização do método Pilates como uma atividade de condicionamento físico e mental.

Joseph Pilates sabia que seu trabalho estava “50 anos à frente de seu tempo” e seu sonho era ter um estúdio em cada esquina. Sonho esse que se tornou realidade, nos dias atuais, com a grande popularidade do método.

Escrito por: Gloria Menz (Fisioterapeuta)

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Fechar Menu